Segue-me | Tumblr

тιago, 18 anos. Um rapaz como os outros que encontra demasiadas coisas por entre as coisas que devem ser notadas. E este é um espaço meu, entre todas as outras coisas.


 


between.




Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012

estupidez universal.

 O amor pode nem precisar de fogo para queimar,

mas dizem por aí que também mata. Boatos?

 

O amor é uma estupidez intermitente mas universal. O amor é aquela coisa que se descobre sem intenção conforme se vai vivendo. Seja o amor por quem for, seja o amor de que forma for. Tudo o que é o amor, o amor puro, o amor em si, é uma ravina. Se damos um passo em frente, tanto podemos cair como mantermo-nos em solo firme. No fim, tudo é uma questão da posição para onde estamos virados. Se para o mar, se para terra. O amor é uma ravina rasgada que divide tudo. Nem é que seja assim tão impressionante. Mas é fantástico. Não se fazem tantas coisas quantas as que são feitas por amor. Deve ser essa a razão de associarmos tantas vezes a morte à paragem do coração. Se o coração não bate, está morto. Fisicamente é assim que funciona. Fosse só o amor físico e o assunto terminaria assim. Mas enquanto o amor for um sentimento, as pessoas vão continuar a deparar-se com ravinas. Depois não se admire ninguém que uns andam felizes por causa do amor e outros desolados pelo mesmo motivo. É que, para uns, cair de uma ravina até pode ser radical, mas para outros é sinónimo de medo. E outros ainda, acham que quando de lá se precipitarem a queda vai ser dolorosa. No fundo, se nunca caírem nunca se vão deixar amar e dificilmente ser amados. É estúpido, digamos. Mas as vidas moldam-se por aí. Pelos sentimentos. Não fosse o amor o maior deles todos.

Que grande estupidez.



left by тιago às 22:29
link | deixar comentário | favorito
(63):
De alucinacoesdaalma a 12 de Fevereiro de 2012 às 16:14
Sim, de forma imprevista pelo escritor. Tu escreves algo e é-te sempre impossível ter em mente aquilo que o leitor vai entender. Porque as palavras são imperfeitas, faltam palavras no dicionário, faltam sempre.
Acho que os melhores exemplos são as músicas, não sei se ouves system of a down, mas, de qualquer forma, eles têm uma música chamada "chop suey" e foi muito polémica, porque teve o seu auge na altura do atentado de 11 de Setembro, e se leres a música e pensares no 11 de setembro facilmente associas uma à outra "when angels deserve to die"; "father into your hands i command my spirit" (da perspectiva dos bomba-suicida isto teria sentido, batia certo); mas depois há imensas interpretações da letra, coisas que entre si não têm nada a ver umas com as outras. Ou seja, umas pessoas entendem um significado, outras outro,( (teoria do perspectivismo))...mas o real significado está no escritor (não necessariamente apenas nele).
Por exemplo, o José Luís Peixoto (é um escritor que aprecio bastante) já veio muitas vezes dizer "eu nem tinha pensado que dava para interpretar desta forma". Espero ter sido clara, embora longa..


De MJ* a 11 de Fevereiro de 2012 às 22:47
agree!


De Annye . a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:49
talvez sim, talvez nao.


De inês silva- a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:35
ahah, é não é?! o pior é que se a minha melhor amiga me vem cá a casa come-me tudo ahah (a) jk*


De Autumn a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:27
e que andas a fazer? cx


De bladiceia a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:27
são bilhetes duplos, se quiseres vir. ahah
queria ir ver o bruce springsteen.


De jade e. wood a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:25
gostei do texto, e para mim o amor também é uma grande estupidez mas nao podemos viver sem ele. enfim.


De bladiceia a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:24
eu secalhar vou arranjar bilhetes é para o rock in rio, por causa de um sorteio na minha escola. ai, quem me dera que fosse para os coldplay!


De anne a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:22
sim fui e tu?


De Autumn a 11 de Fevereiro de 2012 às 21:18
vou andando. mas podia estar pior. xD


It exists between us since 22nd July 2011