Segue-me | Tumblr

тιago, 18 anos. Um rapaz como os outros que encontra demasiadas coisas por entre as coisas que devem ser notadas. E este é um espaço meu, entre todas as outras coisas.


 


between.




Quarta-feira, 13 de Novembro de 2013

XII

Maria está a demorar mais tempo do que o costume na casa-de-banho. Adriana pensa duas vezes antes de bater à porta e pedir-lhe para se despachar. Pensa que provavelmente a outra deve estar prestes a sair. Por mais que não suporte a sua colega de casa, tenta ser paciente. Aquela puta provavelmente está só a maquiar-se para parecer um pouco melhor, pensa. Adriana lembra a cara da outra e deixa escapar um sorriso cínico. Acha-a feia, e só consegue perceber o número de universitários com que a outra já fez sexo pelo facto de, para além de o fazer com uma série de desesperados, a maior parte das vezes ela os levar lá para casa já de madrugada. E visão noturna não lhes deve ser talento com certeza. Se, colada no clítoris, Maria tivesse uma fotografia sua, duvidava que nem de olhos fechados, por mais embriagados que estivessem, algum deles estivesse disposto a penetrá-la. Mas tinha de admitir, Maria tinha umas mamas que qualquer mulher gostaria de ter e qualquer homem gostaria de agarrar, por mais que, em comentários com as amigas, lhe chamasse «mamalhuda». De resto, era uma puta. Indubitavelmente.
- Maria!? Já chega, não? - fez uma pausa como se esperasse resposta, não tivesse feito ela uma pergunta retórica. - Vou entrar!
Maria não respondeu. Ela forçou então a maçaneta como se estivesse a invadir a privacidade da outra na tentativa de a fazer falar qualquer coisa. Sabia que esta gritaria com ela. Contudo, começa agora a reparar no silêncio que vem da casa de banho. Fica nervosa, hesita, mas decide abrir a porta.
- Maria? - sussura, já lá dentro.
Maria está realmente na casa de banho. Está deitada na banheira, indiferente a presença de Adriana. Tem o pescoço apoiado na torneira e olha atentamente o teto.
- Meu Deus...
Maria tem um pénis de borracha na vagina, mas está demasiado fria para quem se estaria a masturbar. Está morta. Porém, Adriana só conclui isso depois de pensar para si mesma, uma vez mais, o quão feia é a outra, mesmo com aquelas mamas, ainda antes de reparar no pormenor do brinquedo sexual. Pensa no quão puta a colega de quarto era, de facto, mesmo jazendo ali.
E, depois, repara no homem atrás dela. Mas não pensa mais nada a partir de então.


left by тιago às 00:12
link | deixar comentário | favorito
(1):
De antarctic child a 15 de Janeiro de 2014 às 23:10
Wow. Acho que isto devia ser um livro...


It exists between us since 22nd July 2011