Segue-me | Tumblr

тιago, 18 anos. Um rapaz como os outros que encontra demasiadas coisas por entre as coisas que devem ser notadas. E este é um espaço meu, entre todas as outras coisas.


 


between.




Segunda-feira, 15 de Abril de 2013

IV

Abençoado seja o sol que nos nutre as carnes, se não de mais nada, de luz e calor. Pego numa singela cadeira de plástico branco, guardada para o tempo de verão num canto da casa onde não estorvasse nem a vista nem a passagem, não esquecida mas desnecessária até então, e levo-a pela mão direita ao jardim. Não só pelo pesar seu me chega apenas uma mão, mas também pela obrigatoriedade de na esquerda ter já carga. Levo um livro. Memorial Do Convento. Não minto se disser que ia a cadeira mais leve. Pelo menos, com certeza, na vontade. Mas destro tem naturalmente mais força na mão direita e, no sentir, por lá se acha menos o peso. Porém, deixemos essa física na utilidade das balanças.
Escolho no jardim um lugar pacato, sendo que pacato todo ele o é, onde a sombra não seja em demasia e onde o sol motive a leitura. Entre as duas tangerineiras, logo a sul do grande pinheiro que vai escondendo, sobretudo ele mas outras árvores também o fazem, a casa onde moro, pouso a cadeira. Fabuloso o que se ouve, só cantar de pássaros e folhas que se roçam na aragem, barulho nenhum. Sento-me. Abro o livro na página onde deixei o marcador. Primeiro, antes de ter em atenção a leitura, penso no calhamaço que tenho em mãos, no desinteresse da sua capa paradoxalmente amarela, cor que mais atrai os olhos e que se vê iluminar desde o céu azul, e no período de uma semana que tenho para o ler, quer queira, quer não. Certo e sabido é que ler é coisa de que gosto, mas também o digo, se não for de livre vontade ao invés de ser prazer é martírio. Não me parece mau o autor, e se a Saramago deram prémio Nobel há que o ter em conta e talvez em razoável admiração. E se no seu vocabulário extensivelmente adequado e claramente refinado de tão variado eu me sinta cativado, não me parece que, nem por ser o Palácio de Mafra obra grandiosa, tão grande que se faz parecer maior que a própria vila onde se ergue, Baltasar e Blimunda possam hipoteticamente caír-me no interesse, nem ao de leve quanto mais de sobejo. E que voe a passarola! Que pelo menos admire eu algum padre, que dessa religião não me manifesto, mas de gente com boas ideias me vejo apoiante. Que voe e leve o soldado maneta e a sua amada esfomeada matinal com desculpas de que vê por dentro quando em jejum! Delírio se naquele tempo se conhecesse o raio X! Que voe como sei que voará, porque dos que convivo já mo foi dito. Sou pouco dado a romantismos, e se houver maneira de gostar da estória, que seja lida mais ironia e sarcasmo nela. Só dessa forma será possível contrariar tal aborrecimento incutido pela obrigação de estudar tal obra, que nem mesmo faz o sol milagres.
Por fim, concentro-me e, então, leio.


left by тιago às 01:41
link | deixar comentário | favorito (1)
(9):
De Mafav a 31 de Maio de 2013 às 23:06
adoro a maneira como escreves.. simplesmente espetacular :)


De Miguel Alexandre Pereira a 22 de Abril de 2013 às 22:45
Uma excelente homenagem à leitura, aos livros e ao grande mestre Saramago. Mais uma demonstração da qualidade que possuis, gosto imenso da destreza que tens nas descrições. Por vezes, parecem mágicas!


De meninapequenina. a 19 de Abril de 2013 às 21:52
Coitado do Saramago,pensei assim de repente!
Eu sei há muita gente a não gostar do pobre homem e digo que o Memorial do convento foi um livro que não me entusiasmou assim tanto devido ao facto de ter sido imposto, mas a verdade é que após o ter lido pela 3ª vez fiquei apaixonada. Mas talvez seja uma fraca e me encantem com pouco.
Mas lê ou o Ensaio sobre a Cegueira ou a Clarabóia.

Mas tirando isso gostei da forte imagem que construíste em torno disso!


De Isabela a 19 de Abril de 2013 às 17:39
Olá, tudo bem?
Infelizmente, optei por cortar o mal pela raiz e ficar sozinha...não dependo de ninguém para ser feliz, muito menos de uma pessoa que me quer controlar e manipular. Mais vale sozinha do que mal acompanhada! Bom fim de semana :)


De um-lugar-de-amor a 16 de Abril de 2013 às 22:00
É verdade, parece que é algo que nos é incutido.
O sol faz mesmo milagres (: e que venha ele em doses extra!


De Flor-de-lis a 16 de Abril de 2013 às 21:14
Não


De Isabela a 15 de Abril de 2013 às 11:36
É sempre bom combinar a natureza com a leitura! Parece que desligamos do mundo ao nosso redor...Eu tenho aqui perto de casa um parque natural, sendo que de verão levo uma toalha e estendo-me no meio da relva tardes inteiras com um livro. Sabe tão bem :)
Não podia concordar mais contigo, mas infelizmente não estou a ter essa sorte...


De Catie ♥ a 15 de Abril de 2013 às 08:32
Muito obrigada Tiago !
Mais uma vez a tua escrita fascina-me com este post !


De Ynis a 15 de Abril de 2013 às 07:37
claro, isto tem que se dar graxa u_u
aah, e quando fores ao marés, vais tirar uma foto comigo! e_____e


It exists between us since 22nd July 2011