Segue-me | Tumblr

тιago, 18 anos. Um rapaz como os outros que encontra demasiadas coisas por entre as coisas que devem ser notadas. E este é um espaço meu, entre todas as outras coisas.


 


between.




Quinta-feira, 3 de Novembro de 2011

Water for elephants

 

Dizer que este filme é dos melhores, se não mesmo o melhor, que já vi, é dizer pouco.
Quando o comecei a ver, pouco sabia de que falava. Nunca vi o trailer ou quaisquer imagens dele. Comecei a vê-lo sem qualquer ideia feita. Mesmo sem saber a sua sinopse.

O nome atraía-me. Sugeria o drama que o filme era, mas mais do que isso, nada. A C. contara-me, quando me emprestara o DVD, que falava de um circo. Fazia sentido pela parte dos elefantes. E era apenas isso que sabia. E ontem á noite, pus-me sozinho na sala, apenas com uma vela acesa para além da televisão, a vê-lo.
Foram duas horas, com momentos em que se podia ouvir a chuva lá fora, muito bem ocupadas. E no fim, dei por mim a forçar por mentir a mim próprio. A verdade é que, para além de ao longo do filme várias cenas me terem tocado especialmente, a conclusão do filme está absolutamente espectacular. Não por possuir efeitos especiais ou qualquer coisa que se encaixe no género, mas sim porque conseguiu fazer com que eu, inconscientemente, me focasse na mensagem do filme e em todos os sentimentos que estão nele tratados. É um filme emocionalmente forte. E eu, como sempre, deixei-me levar pelo que é emocionalmente forte e não houve frieza alguma dentro de mim que me impedisse de chorar.

Sim, eu chorei no final. “Homem não chora”, diriam muitos. Esquecem-se eles que quando as coisas chegam bem no coração, bem lá dentro, nem perto nem ao lado, chegam simplesmente, não há como evitar. E aí, não é o homem quem chora, é o coração. E o facto de o filme ser como que uma narração daquilo que o personagem já viveu, memórias portanto, é sempre motivo para que eu relembre o vivido. Mas, desta vez, tocou em algo que eu diria que me deixa especialmente comovido: a velhice a que estamos sujeitos e o momento em que o período que já passou se torna bem maior do que aquele que, inevitavelmente, se segue em frente. Lembrei-me dos meus avós, daquilo que devem ser as suas memórias e daquilo que já viveram e têm para viver. E também da ideia de que temos muitas vezes dessas pessoas. De que já viveram, passou o seu tempo. Com isto, começo a solidificar cada vez mais a ideia que tenho de que perdemos demasiado tempo preocupados com o futuro. Demasiado tempo.

E o filme ainda foca a força do amor e daquilo que por ele somos capazes de fazer, não fosse este filme também um romance. E, fazendo jus ao nome, visa também uma relação muito especial que os animais, generalizando, têm para com o ser humano. Um amor que deve ser retribuído, digo-vos.

E para resumir o filme, deixo-vos duas frases ditas por Jacob Jankowski, o protagonista:
“I’m not running away. I am coming home.”. É perante isto que “Água aos Elefantes” se debruça. Sobre beber do passado.

Vejam o filme, é só.



left by тιago às 20:05
link | deixar comentário | favorito
(60):
De Eleanor. a 8 de Novembro de 2011 às 23:58
a tua sinceridade continua a espantar-me. Nunca vi/li um rapaz que dissesse coisas assim. Nunca ouviria um rapaz dizer que chorou, e admiro imenso a tua coragem em tudo. :)


De Jessica a 5 de Novembro de 2011 às 22:15
Se achares por bem dizer a quem te estás a dirigir, muito bem! :D
Faz como te sentires melhor :D

Visita o blog! Há post novo :D

Beijinho
Je


De inês silva- a 5 de Novembro de 2011 às 22:04
ahhh, fogo explicas e escreves mesmo bem :) a sério!


De maguie. a 5 de Novembro de 2011 às 21:57
e foi interessante, ou nem por isso? haha (:


De maguie. a 5 de Novembro de 2011 às 21:46
e foi interessante, ou nem por isso? hahaha (:


De Inês Tavares a 5 de Novembro de 2011 às 16:56
e eu a roer-me por dentro por há uns meses não ter aproveitado a oportunidade de ir ao cinema vê-lo :c


De Flor-de-lis a 5 de Novembro de 2011 às 16:13
Oi! Água aos Elefantes é um dos filmes mais bonitos que vi. Amei a história do principio ao fim e tu dizes tudo o que se poderia dizer. É simplesmente fabuloso.
Bjs
P.s : também me fartei de chorar


De copodeleite a 5 de Novembro de 2011 às 15:13
hei-de ler, mesmo assim :s este filme já o vi e concordo com a tua crítica.


De * wild * a 5 de Novembro de 2011 às 14:53
Ainda bem (:

- sim, tenho de ver ... Pelo que tu falas parece muito fixe *-*


De Patrícia a 5 de Novembro de 2011 às 12:32
tenho de ver se encontro o filme :b


It exists between us since 22nd July 2011